Rua Francisco Marto, 59 2495-448 Fátima
(+351) 249 530 170
reservas@hotelsantoamaro.com
Reservar já
Pastorinhos de Fátima – Histórias Únicas
Pastorinhos de Fátima – Histórias Únicas

Quando ouvimos o nome da atual directora do hotel Santo Amaro, Jacinta Marto, faz-nos questionar se estará ligado aos pastorinhos de Fátima, sendo que a resposta é positiva, a atual diectora é prima da Pastorinha de mesmo nome.
O hotel Santo Amaro tem uma ligação muito forte com a história das aparições de Fátima e isso faz com que os seus proprietários tenham histórias inéditas para contar, só ao alcance de quem tinha contacto directo com as três crianças que viram e receberam a mensagem de Nossa Senhora de Fátima.
Neste artigo, vamos desvendar algumas histórias sobre a pastorinha Jacinta Marto, que era uma criança como todas as outras, mas que iria ter uma experiência que mudou para sempre a sua vida, a dos seus familiares e amigos e de milhares de pessoas em todo o mundo.
Eis aqui alguns excertos contados pela Jacinta Marto (atual directora do Hotel Santo Amaro), que demonstram traços da personalidade da sua prima Jacinta Marto, a pastorinha de Fátima:
“A mãe da minha mãe (minha avó materna) contava à minha mãe que antes das Aparições de Nossa Senhora que a Jacinta era uma criança como as outras, que gostava muito de brincar, que quando faziam jogos não gostava de perder, tinha o feitio de amuar até se isso acontecesse!
Depois das Aparições da Virgem, quando vinham da escola (que ficava ao pé da rotunda da vespa)para casa em Aljustrel, que não deixava ninguém brincar. Dizia que tinham de rezar a o terço, pois era isso que a Nosssa Senhora tinha pedido, que rezassem o terço todos os dias.”
Jacinta Marto (Hotel Manager)
A aparição de Nossa Senhora de Fátima foi um fenómeno incrível e que na altura fez duvidar muita gente, mas havia um familiar que tentou ver a virgem. Mesmo acompanhando os pastorinhos, no dia em que Nossa Senhora lhes havia indicado a sua próxima aparição, não lhe foi possível o contacto.
“O meu avô (pai da minha mãe), quando era pequeno, conta que num dia 13, um dia com bastante calor (ele não consegue precisar o Mês), jurou para ele próprio que também havia de ver a Virgem!
Nesse dia 13, antes da hora da Aparição, quando os pastorinhos estavam a sair de casa, estando aí, ele agarrou-se ao braço do Francisco e só o largou quando chegaram junto da azinheira!
O meu avô ficou “colado” ao Francisco, pois na sua inocência, julgava que assim também A iria ver.
Na hora da Aparição, ele conta, que o Francisco estava como que petrificado, que estavam os três a olhar para cima, e ouvia a Lúcia a falar com a Nossa Senhora.
Ele não a conseguiu ver, no entanto, enquanto a Lúcia falava com a Virgem, em vez de se ouvirem as respostas da Nossa Senhora, ouvia-se como que um zumbido de abelhas”
Jacinta Marto (Hotel Manager)
Caso fiquem hospedados no hotel, estas e outras histórias poderão ser ouvidas, contadas pelos proprietários. Têm o maior prazer em partilhar o seu conhecimento sobre Fátima e as aparições.

Leave a Reply

Seu e-mail (obrigatório)